terça-feira, 29 de abril de 2008

Sulphur-Feast no vermelho a noite

Finalmente, no dia 26 de Abril, os Sulphur-Feast vieram artilhados para exorcizar um espectáculo de death metal aqui no Sol mói o Pai. A noite de Sábado não era uma noite tenebrosa de tempestade, apropriada para o culto deste som, mas ganhou os espíritos do vinho D. Ermelinda ainda antes do espectáculo. Já passava das 23:00h quando se começou a ouvir a introdução trovejante do álbum, e os cinco elementos da banda entraram em força, bombando o mais forte som que há memória no Sol. Tocaram um set de três músicas, seguido de um curto intervalo de cigarro e tertúlia com os espectadores e amigos. Depois seguiram em grande, apresentando por completo todos os temas do seu novo álbum “Reflections of red”. O espectáculo primou com uma excelente execução dos músicos, com boa fidelidade sonora, conseguindo no seu todo uma apresentação fiel do álbum aos ouvidos mais exigentes (e a outros que ainda não se afinaram a esta sonoridade), dando assim a conhecer como e quem são os Sulphur-Feast a tocar, apesar do exíguo espaço do palco.

Beto, em reflections of red


A festa sulfúrica

Telmo Lopes na voz

e Jef Gomes à bateria

Fábio a atirar-se a um solo sulfúrico

Rodolfo no baixo e voz

O Telmo, vocalista da banda, durante a tarde, quando o som das guitarras já soava alto em pleno check-sound, perguntou em tom jocoso ao Luís, gerente do Sol mói:

- Luís ainda não te arrependeste de meter os Sulphur-Feast a tocar aqui do bar?
Resposta do Luís no fim da noite:

- De nada. Foi um sucesso.

Para quem queira conhecer melhor os Sulphur-Feast, eis algumas ligações:

http://metalwoodblog.blogspot.com/2008/04/entrevista-sulphur-feast.html

http://sulphurfeast.blogspot.com/2007/03/welcome-to-sulphur-feast-posts.html

http://profile.myspace.com/index.cfm?fuseaction=user.viewprofile&friendid=86797503

http://www.metal-archives.com/band.php?id=72802

As fotos são de Pedro Roque

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Ainda antes dos Sulphur-Feast, já no dia 25...

Na noite de 25 de Abril, é muito provável que os Residents All Stars Moedores do 25 de Abril, deem um assalto musical do tipo PREC. Vai ser aquele clima de guitarras e vozes à vez.

sábado, 19 de abril de 2008

SULPHUR FEAST EM ESPECTÁCULO JÁ NO PRÓXIMO SÁBADO

Depois de muita conversa musical, muita ponderação e muita vontade, está decidido: os Sulphur-Feast vêm no próximo Sábado, dia 26, ao palco do Sol Mói o Pai, apresentar o seu novo abum.
Este vai ser um espectáculo de culto completamente diferente do que se tem aqui passado neste bar, portanto, para os clientes habituais aqui vai um aviso:
OS SULPHUR-FEAST TOCAM DEATH METAL INDUSTRIAL.
A noite conta com uma tertúlia à volta desta banda do Pinhal Novo, e especificamente do seu novo album. Depois virá o espectáculo (cerca de 45 minutos / uma hora), que deverá ser pura audiofilia, já que a qualidade deste trabalho assim o merece.
A entrada é livre e a cerveja tem happy hour.
A não perder.

Construir a 52ª sessão


Por exemplo, esta foi a 52ª sessão de poesias vadias porque a contamos assim pelos dedos, pelas marcas… pelas tintas.
Contamos porque cada dia assim não é um dia insubatancial.

Conta-se para lá da memória, constrói-se o habitat, os campos, a luz, os sempres, sem o receio do real, sem choramingar os nuncas.

Conta-se assim, porque há tanto tempo que os ofícios de construir já não estavam tão despretensiosamente próximos da obra.

Xavier a abrir janelas.


espinalMedula a lançar alguns apontamentos para a acta, na dúvida se constroi ou desconstroi!


Maresia disfarçado com uma leitura aos construtores

Um trio consubstancial que não deixa que o polaco se eclipse no meio de tanta palavra portuguesa. Aqui lêem Wislawa Szymborska, um dos Prémios Nobel da Literatura (a Polónia tem quatro Nobel da Literatura).


O duo Prisi/ Xavier a escavarem os alicerces segundo uma técnica de telepatia de construção orgânica.


Uma leitura a cinco, ou seis, ou sete...

E já agora, sem tentares entender, és contra ou a favor ao contra-desconstrutivismo?
O Rafael a mostrar um livro da sua "Modesta Poesia"
Rafael, O Leafar , tem um lugar cativo na nossa construção, que não é só o das suas memórias, mas o do movimento perpétuo nos lugar dos novos
e de todos os outros ainda mais novos
e mais aqueles que ainda estão por nascer e não esperam pela demora de fazerem 100 anos!
Parabéns pelos 85 anos… ou serão 58?!!

David, a desenhar o final da acta, já quase dentro dela. A meio da madrugara, ele e a obra eram exactamente a mesma coisa.

As fotos são de Pedro Roque, aqui com um tratamento embloguesado.

terça-feira, 15 de abril de 2008

Exposição de Amaro Fernandes

Encontra-se patente até dia 17 de Maio, n’O Sol mói o Pai”, uma exposição de vários trabalhos da autoria do jovem criador Amaro Fernandes, trabalhos estes que se desenvolvem essencialmente segundo uma linguagem abstracta geometrizante.


Metastese

Tecnica místa sobre tela. 80x100cm. 2007


Três em Linha
Tecnica mista sobre tela, 90x30cm. 2008

Óleo, acrílico, guache, canetas de feltro, tinta correctora, spray e colagens várias são alguns dos materiais e técnicas que, individual ou conjuntamente, são aplicados em suportes diversos como a tela, a madeira ou o k-line, dando origem matérica e plástica às obras em exposição.

Ataxia

Tecnica mista sobre tela, 70x50cm. 2007

*******



Este artista veio a convite da Associação Cultural e Artística Elucid’Arte, que, desde a sua fundação, tem tido estreitas relações com O SOL mói. A Elucid’Arte tem como finalidade a melhor divulgação, valorização e preservação de bens patrimoniais e artísticos. Os seus objectivos, desenvolvidos preferencialmente na região de Setúbal, assentam por um lado no património cultural e na educação patrimonial e, por outro, nas artes plásticas e na educação artística (para mais informações eis o correio electrónico: elucidarte@sapo.pt) .





sexta-feira, 11 de abril de 2008

Poesias de boca aberta nº51

A experiência nº 51 do dia 20 de Março teve muita actividade poetificativa com o tema “Os grávidos da poesia que dão à luz de boca aberta” , alusivo à presente exposição de Ricardo Passos. A sessão contou com um cenário de inox muito energético e cheio de ovos esquisitos com gema gramatical. Cada pessoa, quando tivesse a sua intervenção, abria um poema à sorte e dava-lhe vida em voz alta. O ponto alto da noite foi a performance de !Oh.skar e os novos actores do grupo de teatro de Pinhal Novo: ATA, em que pariram verdadeiramente os poemas pela boca em voz alta.

Xavier a segredar a prematura inversamente oval

Leafar a descobrir o poema do ovo pascuo-parido


k!m pr!su na colheita ovivípara

!Oh.skar para lá do parto dos teatros

O parto de Paulo, onde a poesia luz os olhos ainda na boca do poeta

As jovens mãos desATAdas á procura do texto

O, parto invisível do parteiro desde lá vazio, e, negros.

As fotos são do Pedro Roque, tratadas livremente para este blog.

terça-feira, 1 de abril de 2008

Vitorino sem papas nas cordas!

Neste Sábado, dia 29 de Março, João Vitorino brindou-nos com o seu segundo show no palco do Sol mói. O espectáculo durou mais de uma hora, com um intervalo a meio, e contou com uma assistência muito atenta e apreciadora do seu trabalho. O espectáculo deste artista pinhalnovense caracterizou-se por um excelente desempenho na guiarra com temas muito diversos desde o jazz, à bossanova, passando pelos standards e um inédito de sua autoria. Entre as músicas, João Vitorino pôz-se à conversa com os fãs, dando algumas dicas sobre os temas e conseguindo com isso uma vertente mais familiar e informal ao espectáculo que poderia cair no semblante altamente técnico. O final contou com um encore e com a certeza de que temos aqui um guitarrista de primeira.