sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

CONCERTO DIA 7 DE MARÇO

NO PRÓXIMO DIA 7 DE MARÇO, SÁBADO,

HAVERÁ O CONCERTO DOS


O pop-rock em grande aqui no SOL
*********
.
.
.
depois,
no dia 14 de MARÇO
VIRÃO AO SOL PELA 3ª VEZ
OS
AFLUENTES DO SADO

Teimosos na 63ª poesia

A 63ª sessão de Poesias&Alegorias (19-fev), começou com a leitura de poemas de Ana Hatherly e de textos dos últimos trabalhos de Samuel Beckett, entre outros. Após um curto intervalo, e já perto das 23:00h, deu-se início ao Primeiro Festival Internacional de Teimosos. O arranque deste evento começou logo com uma bela teimosia, pois havia quem achasse que o festival era nacional, e outros que era local. Sobre esta teimosia, não se chegou a nenhuma conclusão. Aliás, todas as teimosias que foram discutidas, foram inconclusivas. O festival teve dois "takes", no primeiro, os teimosos estavam um tanto ou quanto enferrujados e artificiais, deixando a performance ganhar um semblante caótico. No segunto "take", após um rápido debate crítico, a performance correu bem melhor tendo como principal teimosia "o cutelo está na cozinha". Os performers teimosos foram, espinalMedula, Ohscar, To Zé Xavier, K!m Pr!su, Flancus, Rui Enorme e Pedro. O evento foi filmado com 3 câmaras e fotografado para a produção de Videoarte e Foto-performance.


Calcula-se que se abriu aqui uma nova porta ao género performativo... a teimo-performance.

Foto de Pedro Roque

sábado, 14 de fevereiro de 2009

PERFORMANCE NA 63ª SESSÃO




Na próxima quinta-feira,


dia 19, dá-se a 63ª sessão de Quintas a Ler.
Por motivos inadiáveis, irá acontecer a performance
“FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEIMOSOS”


Uma performance inevitável, onde se exige intensidade metafísica para reduzir a razão ao zumbido duma melga na escuridão.

Algo nunca antes conseguido.

A performance obriga toda a população internacional a participar, mesmo para aqueles que ficam em casa feitos casmurros.

Aceitam-se ameaças, mezinhas e fetiches.

Crianças com birra não pagam nada.

Como topo de gama, irá estar uma câmara de vídeo-conferência na campa de Kant, para ver quantas voltas ele dá.

No final, leituras da “Crítica da Razão Mínima”.




Estão todos convidados